Pesadelo

Julliana Bauer

Costumo ter pesadelos coerentes. Já sonhei algumas vezes, por exemplo, que estava presa no meio de uma barricada na Rua Riachuelo – uma ótima rua para barricadas – ouvindo tiros que aparentemente vinham do Passeio Público. Poderia acontecer, sabe. Só que na noite passada, acordei assustada com a incoerência quase inédita de um pesadelo: sonhei que eu e uma amiga de infância retomávamos a amizade, após muitos anos sem contato, motivadas por algo em comum: a possessão demoníaca. Eu olhava pra ela e percebia que seus olhos estavam negros, provavelmente porque gente possuída pelo capeta em filmes sempre fica com olhos negros, e a avisava: “Putz, fulana, teus olhos tão inteiros pretos!”. Ela então me respondia muito calmamente que não entendia o motivo de minha surpresa, já que os meus olhos aparentemente também estavam negros. No desfecho do pesadelo, eu olhava no espelho disponibilizado pelo meu subconsciente e constatava: puta merda, era verdade.

Acordei deitada de bruços, com o braço esquerdo embaixo do travesseiro. Como sempre acontece quando acordo de um pesadelo, fiquei imóvel pelo que me pareceu uns seis minutos. Minha bexiga estava cheíssima, o braço debaixo do travesseiro estava dormente, mas resisti paradinha por mais alguns minutos – vai que eu me levanto, olho o relógio e percebo que é algum desses horários satânicos em que pessoas possuídas sempre acordam nos filmes de exorcismo, tipo 3h da manhã, né? Melhor esperar.

Minha avó uma vez me disse que na infância dela, o horário considerado satânico era a meia noite em ponto porque era quando as bruxas ficavam eufóricas, de forma que ela sempre tinha que estar na cama antes da meia noite. Mas ao longo das gerações, algo aparentemente mudou na rotina do satanás e o horário em sua homenagem foi remarcado pras 3h. Tomei coragem, levantei, acendi a luz e olhei no meu celular: 4h46. Ufa.

Assim como sonhos, os pesadelos soam muito mais impactantes quando contados do que quando ouvidos.  Minha mãe volta e meia me conta que teve algum pesadelo envolvendo tragédias comigo, com meu irmão ou com alguma criança da família. Eu tenho pesadelos com barricadas, possessão demoníaca e, vez ou outra, com algum episódio de American Horror Story. Freud provavelmente explica, mas enquanto eu não me der ao trabalho de pesquisar a respeito, seguirei usando a técnica de permanecer imóvel na cama até quando minha bexiga permitir.

Anúncios

Uma opinião sobre “Pesadelo

  1. Não é pesada e nem é aquele terror todo . Mas essa série me faz ter pesadelos a noite . Inclivel isso . Tô umas duas semanas q vi a primeira temporada e ontem resolvi assistir a terceira temporada e peguei no sono e tive pesadelos . Pesadelos pesado , de tremer na cama . Vou parar de vê-la . Olha q eu já assistir filmes realmente de terror e não tive pesadelos . A primeira temporada assistia de dia e mesmo assim tinha pesadelos . Não sei por q isso rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s